sábado, 17 de outubro de 2009

Viasónica no Ritz



Hoje estive num pequeno evento da Viasónica no Hotel Ritz em Lisboa. Dos sistemas apresentados, e apesar de algumas más escolhas de "software", como por exemplo uma versão extremamente comprimida e mal equalizada de "Dire Straits Brothers In Arms", ou uma gravação sem grande história (técnica) de "Miles Davis Live In Montreux" que não tem características próprias para demonstrar um sistema audio, gostei bastante de ouvir a sala com colunas Magico, electrónica Audio Research, e fonte SME 20 (gira discos), e a boa companhia do Sr. Pereira da Imacústica (como convidado/colaborador no evento).

Os restantes sistemas, Wilson Sasha + Conrad Johnson (demasiado preso, analítico, frio, e a tocar música mal masterizada/produzida), Sonus Faber + McIntosh (alguma musicalidade mas pareceu-me que pouco passava dos 13khz, roll-off muito acentuado nas altas), os Marantz KI Anniversary + KEF (não ouvi mais do que 3 minutos), os Nagra/Avalon/Meridian/Rotel/B&W (não ouvi nada), e a sala com um setup de cinema em casa baseado em Classé e B&W (não ouvi mais do que 3 minutos), não me deixaram grande impressão, uns porque não lhes dei tempo, outros porque não não eram mesmo nada de interessante (especialmente para o que custam).

Valeu a pena, gostei do evento, gostei de estar com os amigos Luís Patuleia e Ricardo Felisberto, e gostei da organização. E gostei bastante da música na sala das Magico... o único sistema apresentado com fonte analógica, e isso notou-se bem.

http://www.viasonica.pt/


www.VinylGourmet.com - Discos de Vinil / Edições Audiófilas

2 comentários:

  1. Sobre o "rolloff" de altas frequências no sistema Sonus Faber / McIntosh, foi-me sugerido por José Victor Henriques do HifiClube que pode ter havido alguma regulação mal feita (eventualmente até por terceiros) no equalizador por bandas que integrava o sistema. Isso explicaria de uma forma lógica a quase ausência de output sonoro que notei nas altas frequências e que certamente não será atributo típico de tais equipamentos (pelo menos assim espero).

    No entanto não deixo de estranhar que tal falha, imediatamente audível ao fim de poucos segundos, não tenha sido prontamente corrigida, até para evitar situações de reportagens injustas (de forma não intencional obviamente) para os equipamentos.

    Obrigado JVH pela dica que poderá ter explicado o mistério das frequências perdidas :)

    ResponderEliminar
  2. Tudo pelo áudio, nada contra o áudio, é o meu lema.

    Abraço audiófilo
    JVH
    Hificlube.net

    ResponderEliminar