quinta-feira, 1 de abril de 2010

Audioshow 2010 - Viasónica em imagens...


Jeff Rowland Continuum... provavelmente o componente audio mais bonito que já vi, e toca!


Vista geral do sistema. Elegante, simples, muito WAF e fácil de arrumar em qualquer lado...


Lindas... Bowers & Wilkins 805 Diamond é o seu nome... e o preço é grande, como o nome...


Uma fonte digital de renome, da famosa DCS, para não estragar o conjunto de alta joalharia...


Pormenor original... um Music Server Olive 4HD (que não estava a tocar quando lá estive)...

"Por favor pode subir o volume? Só mais um bocadinho..." Esta foi a minha primeira pergunta ao fim de uns quatro minutos a ouvir o som nesta sala da Viasónica, com volume moderado (mais para o baixo), e sabendo tão bem que as B&W 805 são colunas que "aparecem" e revelam o seu potencial quando lhes dão "pancada" da boa! E assim foi, o demonstrador no local aumentou o volume, e de repente ouviu-se música a sério dentro daquela sala! Até um par de ouvintes que estava para sair, imediatamente se arrependeu e voltou para trás aos seus lugares...

Ao contrário de outras colunas, normalmente com tweeters menos equilibrados e estáveis, tipicamente de maior sensibilidade, e sem a construção inteligente e maciça destas "monitoras", as 805 (de qualquer geração) não endurecem nem se tornam estridentes com volumes elevados, antes pelo contrário, a sua postura e resposta parecem melhorar criando uma envolvência e oferecendo uma prestação quase "pneumática" de transientes rápidos, contundentes e poderosos, um palco sonoro cada vez maior e definido, dinâmica inesperada para umas colunas deste tamanho, e os graves que alguns referem como sendo uma área menos conseguida das 805 aparecem em força ao mesmo tempo que demonstram cabalmente a diferença entre qualidade e quantidade e como a primeira tem de ser, claro, a principal prioridade num sistema que se pretenda realmente "audiófilo", tonalmente equilibrado e de alta resolução. Com as 805s, bem como estas novas 805 Diamond, não há baixas frequências empoladas, nem gama média colorida... e as altas frequências têm a limpeza, liquidez, e até percussão, que fazem destes tweeters os melhores que conheço. As 805 Diamond fazem tudo isso um pouco melhor...

Alta resolução foi o que ouvi, seguramente ajudado pelo leitor de CD da DCS que nunca comprometeu, e por aquele monumento à beleza e elegância, o amplificador integrado Jeff Rowland Continuum que rivalizando com a beleza das 805 Diamond foi também capaz de as dominar e de as fazer revelar informação musical com minúcia e alma verdadeiramente excepcionais. Eu pegava neste sistema, acrescentava-lhe um bom gira-discos e ficava feliz da vida a ouvir música até ao fim do mundo... Bom, talvez me levásse ao fim da minha conta bancária... e estou a referir-me ao aumento de preço das 805 (agora Diamond), com um p.v.p. de 4500 euros (sem suportes), o que significa um aumento considerável relativamente ao p.v.p. 2500 euros das suas antecessoras, as fabulosas B&W 805s. A culpa, diz-se, é dos tweeter de diamante que sozinhos custam cerca de 1000 euros por unidade, e apesar de outros melhoramentos nos woofers e crossover das colunas, pode dizer-se que nos tweeters está de facto a principal diferença sonora entre as 805s e as 805 Diamond.

Justifica-se? Bom... cada um terá a sua resposta. As 805s eram já consideradas por muitos como umas das melhores colunas monitoras alguma vez concebidas. A sua neutralidade, quase total ausência de colorações, capacidade para apresentar uma resolução descomunal, e a sua prestação viva e dinâmica, sempre foram uma referência. Eu não conheço e nunca conheci nada melhor para o preço delas, na minha opinião, a 2500 euros o par, não havia qualquer tipo de concorrência. Mas agora a "música" é outra, e pelo que ouvi diria que a prestação das novas 805 Diamond é de facto melhor, conseguindo acrescentar um nível superior de resolução e integração das colunas, mas estamos a falar de uma melhoria quase marginal... o que não teve correspondência no preço, e isso veio abrir de forma radical o leque de potenciais concorrentes e de alguma forma retira força à hegemonia das 805 como rainhas do seu segmento. Diria que, se o dinheiro não for problema (huuummm isto nunca soa muito bem), então as 805 Diamond são o tipo de produto de nicho e "tesouro" audiófilo que apetece levar para casa e apreciar cada segundo da sua companhia com a consciência de estarmos a conviver com um produto realmente especial, como o são os tweeter de diamante, componentes únicos de precisão e prestação que está mesmo muito à frente de qualquer outro tweeter que eu conheça. Mas, quem quiser ter a "magia" das 805, por um preço bastante mais razoável, as 805s (se encontrar ainda em stock ou então no mercado de usados) são a aposta mais racional.

Ouvi música de estilos variados neste sistema (um dos 7 melhores), desde clássica, ópera, passando pelo jazz e pelo rock, sempre com o mesmo nível de prestação, e foi nesta sala que observei o palco sonoro de maiores dimensões, mais profundo e definido, de todo o Audioshow. O Jeff Rowland deixou-me muito bem impressionado, a performance "respira" com facilidade, naturalidade, tudo muito fluído e "dançante" mas sem adornos ou doçuras... som puro, dinâmico e cheio de presença, sem perdas aparentes. Música ao mais alto nível, contagiante... viciante... ViciAudio!


www.VinylGourmet.com - Discos de Vinil / Edições Audiófilas

2 comentários:

  1. Gosto de tudo o que escreveu até agora sobre o AudioShow. Estive lá mas não tenho a sua "formação audiófila", e é com gosto que leio as suas análises e descrições dos sistemas expostos.
    Obrigado
    Miguel Cabeça

    ResponderEliminar
  2. Muito obrigado pelos simpáticos comentários caro Miguel :)

    Gostaria de convidá-lo a registar-se e a participar no Forum ViciAudio, espaço dedicado à troca de informação e partilha de experiências neste "nosso" mundo do audio:

    http://viciaudio.forumotion.com/

    Um abraço!
    Sérgio

    ResponderEliminar