segunda-feira, 24 de outubro de 2011

A rodar: Radiohead - In Rainbows - XL Records 2xLP @45rpm


In Rainbows dos Radiohead foi um dos factores que impulsionaram a minha aventura pelo mundo do vinil. Numa altura em que eu estava já perfeitamente consciente e conhecedor das diferenças que a masterização de um disco podem proporcionar ao nível da qualidade de som e da forma como nos é permitido apreciar a música, saía o último disco de uma das minhas bandas preferidas de todos os tempos, com um conceito intrigante e música de grande qualidade mas... um som apenas mediano, por vezes mesmo mau... sem que houvesse qualquer alternativa "digital", parecia que estaria condenado a ouvir mais um fantástico album de Thom Yorke e seus pares a partir de uma masterização onde a compressão e até alguma equalização mal medida se intrometem entre a música e o ouvinte como se fosse algum tipo de tortura medieval...






Este até é "daquele tipo" de música que pela forma como absorve o ouvinte, pela sua qualidade criativa e pelo tipo de produção sonora (que obviamente tem outras preocupações além da pura fidelidade audio), não pareceria à primeira vista precisar de cuidados audiófilos, mas como noutros casos semelhantes se veio a demonstrar, rapidamente percebemos que o bom som nunca é demais e qualquer obra beneficia de uma boa masterização que respeite simultaneamente a produção artística e os nossos ouvidos. Este que é o meu album preferido dos Radiohead e que me soa como uma espécie de "Matrix" musical (15 Step) que expõe descaradamente os códigos das cores do arco-íris e tenta retratar o nosso mundo como uma equação matemática, nua (Nude), que nos é tão estranha (Bodysnatchers), e os dilemas emocionais daí decorrentes (All I Need) para a nossa frágil condição Humana (House Of Cards), não escapou à regra. Era urgente encontrar uma forma de poder ouvir melhor este disco...




Depois de alguma investigação e partilha de lamúrias online com outros apreciadores dos Radiohead, comecei a ouvir falar da edição em duplo vinil de 12 polegadas a 45 rotações por minuto, a chamada "Discbox" que foi vendida por pré-encomenda online na loja da W.A.S.T.E muito antes do disco ter sido lançado (semelhante ao que os Radiohead fizeram em 2011 com The King Of Limbs). Trata-se de uma caixa que contém o album In Rainbows em formato duplo vinil LP "cut" a 45rpm, bem como o CD do album, mais um CD de "b-sides" e extras e um livro com "artwork" alusiva ao tema do album. Esta edição esgotou rapidamente (hoje só pode comprar-se no mercado de usados, aparecem regularmente no eBay) e rapidamente também começaram a surgir as primeiras análises técnicas e rumores sobre o som muito superior destes discos de vinil relativamente à edição em CD, bem como as sempre intermináveis discussões sobre qual o motivo pelo qual as duas versões soavam de forma tão diferente e quais teriam sido as "sources" usadas para cada uma delas ou porque teriam sido feitas masterizações diferentes quando, à partida, ambas têm origem na mesma "master", no mesmo processo de gravação e mistura digital, sendo que nunca se chegou a nenhuma conclusão sólida, excepto na unanimidade com que todos percebem imediatamente que a masterização feita para a edição LP 45rpm é de facto muito melhor e oferece ao ouvinte uma "visão" muito mais clara sobre o universo "In Rainbows".




Acabei por conseguir encontrar uma Discbox em excelente estado e a preço razoável (no eBay Inglês), tendo-se revelado uma das minhas melhores aquisições, além de que é também um dos melhores exemplos que se pode dar relativamente ao tema das masterizações e da sua importância e relação com a questão dos formatos. Estamos novamente perante um album que tem no formato vinil a melhor qualidade de som disponível, o que continua a ser motivo para algum espanto, especialmente quando falamos de "prováveis" fontes digitais nada justifica situações deste tipo, mas na verdade é o mercado do audio portátil, dos iPads e do auto-rádio, que está a comandar as operações nos últimos anos. Neste caso com final feliz a edição em vinil da Discbox escapou aos métodos "fast-music".





Como nota de rodapé, In Rainbows esteve dois anos "ao lume" e foi produzido em colaboração com Nigel Godrich numa interessante mistura de sons acústicos e electrónicos, orquestra e variados instrumentos pouco habituais. Foi o primeiro album dos Radiohead depois de terem deixado para trás a EMI e teve a particularidade de ter sido lançado inicialmente pela própria banda através do seu website disponibilizando o album em formato digital a troco do pagamento de um valor a escolher pelo comprador, ou seja, não tinha preço definido deixando esse aspecto ao critério dos consumidores, numa clara estratégia de provocação às pessoas e à indústria fonográfica que deu muito que falar na imprensa especializada da época e nos foruns de discussão online por todo o mundo. Depois de mais de três milhões de cópias vendidas "worldwide" e de ter alcançado o primeiro lugar de vendas nos principais mercados (USA/UK/etc) acabou por ganhar dois Grammy Awards para melhor album alternativo e melhor edição especial... inteiramente merecidos!





Radiohead - In Rainbows (2007)
XL Records (Europe)
Limited Edition 2xLP @45rpm + 2CD + Book Discbox
Catalog: _X_X001
Matrix Side A: RIPPLES _X_X 001 A1   /   Matrix Side B: ON A _X_X 001 B1

Para ver e ouvir em http://ViciAudio.blogspot.com


www.VinylGourmet.com - Discos de Vinil / Edições Audiófilas

Sem comentários:

Enviar um comentário