domingo, 14 de julho de 2013

A rodar: Sigur Rós "Kveikur" (Ltd Edition 2xLP + CD & 10" vinyl record) Album Review



Depois de um hiato com cerca de quatro anos (incluindo Inni e Valtari pelo meio) e da saída de um dos membros da banda Kjartan Sveinsson que costumávamos ver ao piano, chegou a temer-se o fim da mítica banda Islandesa e da sua música de encantar. Em vez disso, os Sigur Rós trazem-nos o novo album "Kveikur", um sismo musical num regresso muito aguardado e que não sendo propriamente triunfal é um dos melhores ensaios que já ouvi neste ano de 2013 em que muitos albums e regressos têm surgido, mas nem sempre bem conseguidos ou ao nível das expectativas criadas. Como uma banda sonora de um filme de guerra (e mostrando talvez muitas feridas dignas de uma longa guerra), "Kveikur" consegue revelar a violência dos anjos, animais que rosnam de medo, máquinas e motores no red line que fazem tremer o chão, enquanto a voz doce de Jónsi nos ilude e engana juntamente com os mais belos sons que nos acariciam e sossegam numa ilusão de que tudo está bem. Se isto não é Sigur Rós... não é mais nada porque não conheço outra banda capaz de tal feito. Os Sigur Rós estão de volta. Le roi est mort, vive le roi!

"Kveikur" recupera de forma muito inteligente, e agora devidamente integradas no estilo histórico da banda, as nuances e ritmos introduzidos durante a produção de "Meo suo í eyrum vio spilum endalaust" (onde o produtor Flood teve influência decisiva). Aquela súbita alegria e leveza que soava de certa forma deslocada do contexto musical dos Sigur Rós foi agora reaproveitada e transformada em Sigur Rós puro, misturado nas entranhas e com as raízes originais como os elementos mais fantasmagóricos do album "Von". O resultado desta fusão são surpreendentes, não só porque revelam (finalmente) o potencial das tendências introduzidas por Flood e como elas faziam sentido à luz do histórico da banda, mas principalmente porque "Kveikur" é um album cheio de vitalidade e que coloca os Sigur Rós novamente na ribalta do mundo do Rock, Post-Rock e Art-Rock (e outros que tais), em vez de uma tentativa de regresso falhada, repetitiva ou sem sentido.


(no video em cima toca a faixa Hrafntinna / Obsidian no meu Rega P9)

Tive a sorte de assistir ao vivo quando os Sigur Rós actuaram pela última vez em Portugal (Campo Pequeno 2013) e nessa noite memorável a banda tocou algumas das músicas que compôem este album... a sinergia gerada logo numa primeira audição (algo que raramente acontece) era o sinal de que algo muito bom estava para vir e as expectativas não foram goradas. Com a saída de Sveinsson a bateria ganhou um arco-íris de tons com a percussão de muitos e diversos metais num festival sonoro industrial grandioso. Este carácter quase pirotécnico de "Kveikur" encontra sempre na voz de Jónsi uma almofada de bom gosto e a contenção necessária para manter o focus e a relação íntima com o ouvinte. Na última faixa do disco o piano volta a uma posição de relevo como uma voz do passado, acompanhado por um coro instrumental que parece um choro ou um lamento... Uma espécie de "Wish You Were Here" ou um Farewell de Jónsi para um amigo que com ele voou na maiores alturas e mergulhou até ao fundo das maiores profundezas?

Nesta edição especial limitada que faz acompanhar o duplo vinil LP de um CD (versão digital do album), vem também um disco "bónus" de  vinil de 10" com duas músicas no lado A que soam algo escuras e cruas e bem poderiam fazer parte da Playlist de Hannibal Lecter num dia mais aborrecido, são interessantes mas pouco mais acrescentam, e no lado B uma versão disco-beat de "Brennisteinn" que resulta muito bem e também nos traz à memória "Von Brigði" (1998), o disco de Sigur Rós remixed.

Existem duas prensagens, uma americana pela United Records Pressing, e uma europeia produzida na fábrica da francesa MPO. De acordo com a informação que me tem chegado, a prensagem da United não tem grande controlo de qualidade e o som sofre com demasiado ruído de reprodução, sendo preferível optar pela edição europeia que, não sendo perfeita (a MPO não é uma casa audiófila e o meu disco apresenta algum ruído que não é exagerado, uns "pops" e "ticks" ocasionais) é pelo menos de qualidade superior à prensagem americana, o que para nós até dá bastante jeito porque é a versão mais fácil de encontrar e menos dispendiosa para o consumidor português. A masterização tem excelente qualidade com a marca da casa Sterling e assinatura do experiente Ray Janos, o som é imponente e enérgico como a composição musical, resultado garantido para encher qualquer espaço com a grandiosidade de "Kveikur", sem dúvida menos congestionado e com maior realismo e dinâmica comparando com o CD que acompanha esta edição especial. Um disco indispensável na sua colecção, um dos grandes discos de 2013.



Sigur Rós "Kveikur" (2xLP Edição Limitada)
XL Records Made in EU (mas não indicado na capa) 2013
Catálogo: XLLP606X
Matrix Lado A: XLLP606-A RJ Sterling MPO
Matrix Lado B: XLLP606-B RJ Sterling MPO
Código de barras: 634904060602
Extras: Inclui CD com album completo e disco de 10" com faixas adicionais


Para ver e ouvir em www.viciaudio.pt   Visite também o ViciAudio no Facebook!


www.VinylGourmet.com - Discos de Vinil / Edições Audiófilas

Sem comentários:

Enviar um comentário