quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Audio Show 2013 Portugal - Reportagem ViciAudio em fotos e videos (Parte 1)


Decorreu mais um Audio Show em Lisboa durante o fim-de-semana passado, este ano de 2013 com um número de expositores (e talvez de visitantes) que me pareceu ligeiramente inferior às edições de anos anteriores recentes, o que poderá ser parcialmente explicado pela conjuntura económica que o país atravessa. O espaço escolhido foi novamente o Hotel Pestana Palace com a sua arquitectura monumental, interiores majestosos e fantástica vista sobre Lisboa, mas que oferece poucas condições para um evento deste tipo especialmente quando obriga a transitar entre edifícios diferentes pelo exterior num mês frio e chuvoso como Novembro, além de ter corredores demasiado estreitos, um único elevador ridiculamente lento e salas de volumetria e qualidade acústica questionável. Tenho de deixar pelo segundo ano consecutivo um apelo à organização para que tente encontrar alternativas mais adequadas que tornem mais agradável a visita e permitam uma maior eficácia ao evento. Apesar de tudo, o bom tempo ajudou a tornar a visita e a deambulação pelas salas mais fácil, já que este ano não foi necessário andar com grandes sobretudos ou guarda-chuvas atrás, algo que no ano passado se revelou uma tarefa verdadeiramente desesperante e irritante. Assim foi um pouco mais agradável, com as várias subidas e descidas pelas escadas (aquele elevador...), as passagens pela rua entre os dois edifícios até se tornaram boas oportunidades para espairecer e apanhar um ar fresquinho antes de voltar à azáfama audiófila. Vou deixar aqui algumas fotos, videos e ideias gerais sobre o que vi e ouvi, não são exactamente "reviews" tradicionais, algo que num evento deste género seria impossível porque há sempre alguma agitação no local e a selecção musical não é feita por mim, mas sim uma abordagem genérica à impressão que me deixou cada sistema.



Absolut Sound & Vision (Guru / Arcam / Chord / Pro-Ject / Audio-Technica) 



Na Absolut o sempre simpático e experiente Carlos Moreira apostou tudo num produto recente e com características inovadoras, as colunas Guru Junior que prometem uma performance grande a partir de caixas pequenas. De uma forma geral a promessa foi cumprida, as pequenas Guru com o seu design simples mas apelativo, alimentadas por leitor Arcam FMJ CD-37 como transporte para um DAC Chord Chordette QuteHD, e amplificadas por um integrado Arcam FMJ A-19, mostraram o seu valor mesmo quando completamente encostadas à parede traseira, algo que pode ser um trunfo para muitos audiófilos que procuram nesta gama de preços umas colunas fáceis de alimentar e encaixar nos espaços nem sempre grandes dos apartamentos urbanos. Achei as Guru especialmente surpreendentes com música clássica ou peças de "big band", em que a noção de escala e a própria resposta de transientes fez parecer que se tratavam de colunas realmente maiores (e mais caras). Achei interessante o grave controlado e relativamente extenso que foram capazes de reproduzir, apesar de notar a gama de frequências algo condensada o que resulta das limitações de caixas/drivers com dimensões tão reduzidas e, de certa forma, demonstra alguma preocupação em manter a resposta das colunas o mais honesta e linear possível de acordo com as características físicas inerentes em vez de mascarar essas limitações com truques de "ilusionismo técnico" que nem sempre são bem sucedidos...





Ajasom (Vivid Audio / Nagra Audio / Kronos / Lyra)





Na sala da Ajasom as colunas Vivid Giya (G2?) partilharam o palco com o amplificador  válvulas Nagra 300B, deixando o gira-discos Kronos e toda a sua beleza na zona lateral. O Kronos parece e soa como uma mistura de Clearaudio com SME, uma performance sólida ao nível dos melhores, e as colunas Vivid demonstram uma correcção tonal acima da média bem como uma noção de palco sonoro impressionante (desde que situado perfeitamente no hot-spot), mas das várias vezes em que estive nesta sala os conteúdos musicais escolhidos eram sempre bastante suaves ou "tímidos" e eu gostava de ter ouvido este sistema a tocar algo com maior impacto e ritmo mais acelerado. A primeira impressão é bastante seca, chegando mesmo a dar a sensação de um certo desprovimento de energia ou vida na reprodução musical deste sistema, mas com calma e tempo percebe-se a elevada resolução apresentada e o timbre extremamente afinado que as Vivid nos oferecem e que as destacaram, nesse aspecto particular, das outras propostas no Audio Show 2013. Fica a faltar uma apresentação mais poderosa para poder avaliar se estas colunas conseguem manter a compostura noutros níveis de volume a a tocar sonoridades mais "arriscadas".






Belmiro Ribeiro (LG / Samsung / e muitas outras marcas AV)


Eu costumo a dizer, meio a brincar meio a sério, que a loja Belmiro Ribeiro na Amadora é o Cristiano Ronaldo do comércio de material Audio / Video. Digo isto porque eles são uma verdadeira máquina de bom serviço, excelente atendimento, vasta disponibilidade de produtos de imensas marcas e sempre com preços aliciantes. Nunca conheci em Portugal e neste ramo de actividade outra loja com este nível de profissionalismo e qualidade na relação com os clientes aliada às outras caracterísicas que referi em cima... Em exposição estavam principalmente várias televisões com as últimas tecnologias e os maiores tamanhos, e se vai comprar uma televisão recomendo sem qualquer tipo de reserva que fale com eles! Gostava de ver mais empresas em Portugal a trabalhar como a Belmiro Ribeiro, sem dúvida um caso de sucesso que perdura há muitos anos e vai continuar de boa saúde certamente.




Delaudio (Monitor Audio / Primare / Roksan / BlackSat / REL)


A Delaudio renova a aposta na electrónica Primare (CD 22 / DAC 30) com amplificação Roksan Caspian M2 para fazer cantar as novas Monitor Audio Silver Series 6 (SS6). O resultado sonoro deste sistema em linha com o que já estamos habituados destas marcas não representa portanto nenhuma novidade, uma apresentação algo aveludada e sedutora, sem falhas graves a apontar, bom ritmo e resposta sólida quanto baste, um bom sistema que não transcende mas também não compromete e oferece uma solução de custo relativamente baixo. De notar que o subwoofer REL R528-SE que se pode ver na imagem estava ligado e muitíssimo bem integrado com o sistema de tal forma que era mesmo difícil perceber se ele estava ou não a funcionar, mas estava, e oferecia sempre uma maior escala e integração à composição global do som desta sala. Os famosos (e misteriosos) cabos BlackSat também lá estavam... não no Espaço, mas aqui na Terra!






Diplofer (Burmester / Transrotor / SME / Van Den Hul)



Bom som na sala onde estavam as vistosas colunas B80 e electrónicas da Burmester e  ainda mais vistoso gira-discos Transrotor Apollon TMD com braços SME e células Van Den Hul. Também nenhuma novidade em relação a tantos outros sistemas com "assinatura" Burmester que já ouvi em vários eventos, ou seja uma performance sólida de elevada qualidade mas que parece ficar sempre aquém de outros sistemas na mesma gama de preços... diria que se trata de uma performance muito "germânica" com tudo o que isso tem de bom em termos de rigor e eficácia, mas noto sempre a falta de algum tempero que permita mostrar mais o lado emocional da música, afinal... o mais importante.




Exaudio (ATC / Perreaux / Townshend Audio / Densen / Audio Note)







Esta é uma das salas que mais me surpreendeu pela positiva.  Começando pelas poderosas e imponentes colunas ATC (SCM50SL Tower e SCM11), amplificadas pelo não menos possante Perreaux Eloquence 250i, alimentados por um fabuloso gira-discos Townshend The Rock 7 com braço Excalibur 3 e uma célula Audio Note IQ3...

Há vários pontos a reter sobre o sistema desta sala. Em primeiro lugar, não terá sido o som mais refinado que ouvi no show, mas foi sem dúvida o som mais potente. As ATC podem debitar som como se fosse um concerto de estádio ali mesmo à nossa frente, e isso é impressionante. Quanto mais alto tocam melhor é a sua prestação e o som vai-se tornando mais focado e realista. Não são as colunas ideais para quem procura o "telintar" audiófilo e os palcos sonoros de grandes dimensões e que criam realidades virtuais quase palpáveis, mas se tem um grande espaço e quer tocar música com força a sério, com uma resposta super directa e extremamente rápida, as ATC são praticamente únicas na sua categoria e o envolvimento da marca no mundo do Audio Profissional não é alheio à eficácia brutal destas colunas.

O amplificador Perreaux demonstrou uma potência inesgotável e capacidade de controlo impressionante sobre as ATC... imagino o que este amplificador poderá fazer com outras colunas menos exigentes e mais refinadas, sem dúvida um amplificador que merece atenção em qualquer lista de compras e que custa muito menos (e ocupa menos espaço) que outras propostas bem mais famosas mas nem por isso melhores. Fiquei também muito bem impressionado com o gira-discos Townshend e o seu sistema de controlo de vibrações directamente no braço e na cabeça... claramente uma ideia muito interessante e com resultados fantásticos. É diferente e funciona!



(continua na Parte 2 da Reportagem ViciAudio Audio Show 2013 Portugal - Clique Aqui)


Para ver e ouvir em www.viciaudio.pt   Visite também o ViciAudio no Facebook!


www.VinylGourmet.com - Discos de Vinil / Edições Audiófilas

Sem comentários:

Enviar um comentário