terça-feira, 28 de janeiro de 2014

A Rodar: Miles Davis - Sketches of Spain - Mobile Fidelity Sound Lab Vinil LP

(Miles Davis Sketches Of Spain - Mobile Fidelity vs Classic Records)


Depois de Kind Of Blue em que a última faixa se chamava justamente "Flamenco Sketches", Miles Davis apresentou em 1960 o seu novo album "Sketches Of Spain" com arranjos de Gil Evans e agora sem John Coltrane ou Cannonball Adderley a acompanhar, um disco que de certa forma não se afastou muito da sonoridade "Cool" que caracterizava Miles Davis nessa época mas, desta vez com a veia jazzística mais diluída ou não fosse este um dos discos mais representativos dos géneros Jazz Fusion ou do chamado Third Stream com a sua mistura de elementos do Jazz, da Música Clássica Europeia e da World Music.

Considerado um dos marcos na carreira de Miles Davis, esta obra prima caracteriza-se por uma apresentação sonora diferente de outros discos de Jazz mais "tradicionais", com um palco sonoro mais vasto e profundo, bem como um destaque mais acentuado ao som ambiente do estúdio por força do arranjo orquestral que normalmente associamos à música Clássica. Além disso outros instrumentos que normalmente não ouvimos nos discos de Miles Davis (ou Jazz em geral) estão aqui presentes e naturalmente representam desafios técnicos diferentes nas fases de gravação, mistura e masterização do disco.




No que diz respeito às edições analógicas audiófilas, Sketches Of Spain foi reeditado pela já desactivada mas muito bem reputada "Classic Records" em 1998, passando depois por um período negro com várias edições de má qualidade que inundaram as lojas mais generalistas oriundas de empresas como a Music On Vinyl, WaxTime, Not Now Music, ou a Doxy em busca de clientes menos informados (que claramente não visitam o blog ViciAudio), até agora que faz parte do programa de reedições audiófilas de Miles Davis pela Mobile Fidelity Sound Lab (MFSL). Se for como outros discos desta série, estaremos seguramente perante mais um trabalho soberbo de masterização e prensagem ao mais alto nível de qualidade, a partir das Master Tapes analógicas aprovadas pela Sony.

Assim sendo, decidi comparar estas duas edições, a "Classic Records 200gr Quiex SV-P Super Vinyl Profile" de 1998 masterizada por Bernie Grundman e a "Mobile Fidelity Sound Lab Original Master Recording 180gr High Definition Vinyl Half-Speed Mastered on the Gain 2 Ultra Analog System" de 2013 masterizada por Krieg Wunderlich e Shawn Britton. Mais uma vez a MFSL não desiludiu dando continuidade ao fabuloso trabalho que tem feito neste programa de reedições de Miles Davis, mesmo quando cofrontada com uma versão com a qualidade da Classic Records e com a mestria de Bernie Grundman, a MFSL conseguiu trazer-nos Sketches of Spain com ainda maior clareza, maior resolução, numa experiência sonora e musical mais completa.


(no lado A da edição Classic Records pode ver-se uma área não gravada bastante maior)

A diferença principal entre as duas edições reside num efeito de maior compressão do LP da Classic Records, com um corte mais quente que reduz ligeiramente a dinâmica e também a dimensão do palco sonoro tornando a performance um pouco mais estreita e com um contexto sonoro bastante mais típico para um disco de Jazz mas que, neste caso concreto pelas particularidades musicais, talvez não seja a abordagem mais correcta em termos de masterização. Na verdade a versão da MFSL com a dinâmica preservada numa apresentação sonora mais subtil e refinada mostra-nos o ambiente do estúdio CBS da 30th Street com outra amplitude, com o som da percussão e do próprio trompete de Miles Davis menos pronunciados e devidamente colocados na imagem sonora tal como se espera que eles estivessem integrados num cenário de orquestra maior do que o habitual Jazz Trio ou Quinteto.


(no lado A da edição da MFSL pode ver-se uma maior ocupação de área gravada)

Outra vantagem da menor compressão dinâmica do LP da MFSL é a naturalidade do som do trompete de Miles Davis que em quase todas as edições deste album até agora podia tornar-se um pouco artificial, duro e de difícil audição mas que aqui soa mais rico e expressivo, e o grave expansivo e aberto que representa bem a escala maior que é uma marca fundamental desta gravação. No LP da Classic Records temos uma abordagem mais directa e estreita, com os sons fundamentais destacados e muito frontais, mas no LP da Mobile Fidelity ouvimos Sketches of Spain em toda a sua grandeza e com todo o detalhe de uma apresentação musical variada onde diferentes aspectos têm relevância, e os traços vitais surgem numa integração perfeita com o espírito da gravação original, acrescido de uma resolução mais profunda, rica e detalhada do que alguma vez tinha sido possível. A MFSL está de parabéns por nos trazer mais um clássico na melhor forma de sempre, esta série de Miles Davis é absolutamente imperdível, as melhores masterizações a partir das melhores fontes no melhor formato do Mundo.

Na época alguém perguntou: "But is it jazz?" Davis respondeu, "It's music, and I like it." Nós também gostamos!




Classificação ViciAudio: Música (0-10): 8   Som (0-10): 9   Produto / Valor (0-10): 9


Miles Davis Sketches Of Spain (editado originalmente em 1960)
Mobile Fidelity Sound Lab Original Master Recording (reeditado em 2013)
Made in USA 33rpm 180gr High Definition Vinyl
Número de Catálogo: MFSL 1-375
Código de Barras: 821797137515
Masterizado por Krieg Wunderlich e Shawn Britton
Matrix Lado A: MFSL 1-375 A1   KW@MoFi   20519.1(3)...
Matrix Lado B: MFSL 1-375 B1   KW@MoFi   20519.2(2)...

Miles Davis Sketches Of Spain (editado originalmente em 1960)
Classic Records (reeditado em 1998)
Made in USA 33rpm 200gr Quiex Super Vinyl Profile
Número de Catálogo: CS 9271
Masterizado por Bernie Grundman
Matrix Lado A: CS 8271-A   BG
Matrix Lado B: CS 8271-B   BG


Para ver e ouvir em www.viciaudio.pt   Visite também o ViciAudio no Facebook!


www.VinylGourmet.com - Discos de Vinil / Edições Audiófilas

Sem comentários:

Enviar um comentário